Quais sãos os indicadores determinantes do EVA®? Como montar uma matriz de indicadores orientada para o EVA®?

Apresentaremos neste artigo o cálculo e montagem de uma matriz de indicadores determinantes do EVA®.

Esta matriz de indicadores poderá ser utilizada para análises retrospectivas e prospectivas também, indicando o comportamento dos indicadores que estão influenciando a criação de valor, assim como a tendência dos indicadores que estão destruindo valor.

Mostraremos a equação fundamental do EVA® e de que maneira ela é desdobrada de modo a identificarmos cada um de seus determinantes.

Este texto ajudará a organizar de maneira objetiva indicadores econômicos, muitas vezes dispersos numa análise econômica.

Equação Fundamental do EVA®

EVA® é a abreviação da expressão “Economic Value Added”. Em português sua tradução é valor econômico adicionado, criado ou agregado.

EVA® é a parcela do lucro operacional que excede os gastos com a estrutura de capital – custo do capital de terceiros mais o custo do capital próprio.

A fórmula para cálculo do EVA® é:

Onde:

RAOL (Retorno sobre o Ativo Operacional Líquido):

O RAOL é uma medida de rentabilidade da empresa. É a produtividade obtida através da gestão dos ativos operacionais líquidos – capital circulante líquido mais capital fixo.

CMPC (Custo Médio Ponderado de Capital):

O Capital Próprio da empresa nada mais é do que seu Patrimônio Líquido – dinheiro integralizado mais lucros retidos. Capital de Terceiros é composto pelo somatório dos Empréstimos de curto e longo prazo de natureza estrutural, aqueles costumeiramente associados com as decisões de investimentos.

AOL (Ativo Operacional Líquido):

O AOL é a diferença entre o ativo operacional (todos os capitais circulantes mais fixos) menos o passivo operacional (fornecedores, impostos a pagar, adiantamentos de clientes, provisões trabalhistas, provisão para pagamento de imposto de renda e dividendos mais os financiamentos de curtíssimo prazo, geralmente contratados para cobrir déficits temporários de caixa).

Ou seja, “traduzindo” a fórmula, temos que o EVA® é a diferença entre o retorno obtido pela operação da empresa (RAOL) menos o custo de todos os capitais empregados nesta operação (CMPC), multiplicado pela soma de todos os capitais da empresa (Próprio e de Terceiros).

Matriz de Indicadores Orientada para o EVA®

Apresentamos a fórmula para cálculo do EVA®. Vamos agora “desmembrá-la” de modo a identificar os determinantes do EVA®.

Desmembrando o RAOL com os recursos básicos da álgebra temos:

Desmembrando o CMPC, temos:

Temos, portanto,

  • LO / Vendas é um indicador de margem;
  • Vendas / AOL é um indicador de giro,
  • e o restante dos elementos da expressão são relações de

Os dois primeiros indicadores nos permitem avaliar a eficiência na gestão dos ativos operacionais (lado esquerdo do balanço patrimonial). Os demais indicadores nos permitem avaliar a competência na definição da estrutura de capital (capital de terceiros mais capital próprio).

Esta matriz de indicadores permite que se acompanhe a evolução econômica da empresa, qualificando de maneira objetiva o lucro.

Os indicadores estão direcionados para acompanhamento do EVA®. Portanto, para se criar valor para o acionista, as principais estratégicas deverão privilegiar:

  • Aumento da margem operacional (componente do RAOL). Para tanto procurar-se-á elevar preços de vendas e/ou reduzir os gastos
  • Aumento do giro sobre os ativos (componente do RAOL). A proposta deverá procurar em aumento das vendas em volume se possível acompanhada de uma diminuição no investimento em ativos
  • Aumento da alavancagem financeira (elevação da relação dívida /capital próprio). Como o capital de terceiros estrutural custa menos que o capital próprio, quando que utilizamos mais capital de terceiros e menos capital próprio estamos reduzindo o custo médio ponderado de capital.

Atenção! Esta relação capital de terceiros sobre o capital próprio tem limites impostos pelo mercado de crédito. Uma relação dívidas / patrimônio muito agressiva poderá fazer subir a taxa de juros ou até restringir o acesso ao crédito.

Exemplo

Para podermos acompanhar melhor os conceitos e procedimentos apresentados, vamos analisar o caso prático apresentado a seguir, com as seguintes informações adicionais:

Alíquota de IR e CSL = 30%

Custo de Capital Próprio = 25% ao ano

Custo dos empréstimos = 15% ao ano bruto (10,5% líquido = 15% x (1 – 0,30)).

 

 

Observações sobre o painel de Indicadores:

  • AOL é a diferença entre a ativo operacional menos o passivo operacional. Em nosso exemplo é a diferença entre o ativo total menos o passivo circulante. O AOL é a parcela do AOL que precisa ser financiada por capitais esternos à operação. O AOL coincide com o somatório do capital de terceiros mais o capital próprio.
  • Os dados referentes a AOL, Capital de Terceiros e Capital Próprio estão calculados em 31 de dezembro de cada
  • O RAOL, o CMPC e os determinantes do EVA são calculados ano a ano levando em consideração a estrutura patrimonial em 31 de dezembro do ano anterior. Exemplo: os indicadores referentes ao ano de 20X1 são determinados levando em consideração a estrutura patrimonial em 31 de dezembro de
  • O CCT e o CCP estão fornecidos em termos percentuais. O somatório da relação CT / AOL mais a relação CP / AOL totaliza 100%.
  • Outra prova do EVA poderá ser observada no quadro a seguir:

Análises:

  1. 20X2 em relação 20X1: Aumenta o EVA® em razão de uma melhoria no RAOL. O RAOL melhora porque a margem aumenta em razão da redução das despesas comerciais e administrativas. O giro sobre os ativos e o CMPC permanecem os
  2. 20X3 em relação a 20X2: Aumenta o EVA® em razão de uma melhoria no RAOL. O RAOL melhora porque a margem aumenta, assim como o giro. Há um aumento de 10% nas vendas, mas o CMV cresce numa proporção inferior. As despesas operacionais permanecem constantes. O CMPC permanece o
  3. 20X4 em relação a 20X3: Diminui o EVA® em razão de uma piora no RAOL. O RAOL piora porque o giro diminuiu (a margem de lucro ficou constante). O CMPC aumentou pelo crescimento da relação Capital de Terceiros/Capital Próprio. No ano 20X3 os dividendos não foram distribuídos, e sim retidos. O patrimônio líquido “engordou” diminuindo o leverage e consequentemente elevando o CMPC. Como o ativo operacional também cresceu pela retenção de lucros e as vendas permaneceram constantes em 20X4, o giro sobre os ativos também

 

Quais sãos os indicadores determinantes do EVA®? Como montar uma matriz de indicadores orientada para o EVA®?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *