Perguntas mais frequentes sobre a Taxa Interna de Retorno (TIR)

Sabemos que as empresas possuem um grande número de investimentos possíveis mas que os recursos disponíveis para isso são limitados. O problema para o executivo financeiro é que algumas opções têm um valor real e outras não.

Ou seja, algumas criam valor para os acionistas e outras não. Identificar as melhores opções é justamente a essência da boa administração financeira e a missão do executivo financeiro que procura maximizar o valor da empresa para os acionistas.

Neste artigo vamos responder algumas perguntas importantes relacionadas a um dos instrumentos que auxiliam o executivo financeiro na sua missão de criar valor para os acionistas, a Taxa Interna de Retorno.

O que é a TIR (Taxa Interna de Retorno)?

A taxa interna de retorno é uma metodologia utilizada para analisar investimentos.

O que significa analisar investimentos?

A missão da administração de uma empresa é criar valor para os acionistas. Criar valor para os acionistas significa valorizar a empresa, fazer com que a empresa valha mais, deixando o acionista mais rico.

O cálculo da TIR de um investimento indica se este investimento vai ou não valorizar a empresa. Portanto, pode-se decidir fazer ou não um investimento analisando-se sua TIR.

O que é preciso para calcular a TIR de um investimento?

É necessário projetar um fluxo de caixa que aponte as entradas e saídas de dinheiro provocadas pelo investimento.
Quais são os componentes necessários para projetar um fluxo de caixa?

Os elementos essenciais são:

• O programa de investimentos (capital fixo mais capital de giro);
O capital e o custo do capital utilizado para realizar o investimento;
• Os benefícios estimados do investimento (receitas menos gastos do projeto);
• A vida útil do projeto (geralmente expressa em número de anos);
• O valor residual do investimento ao término da vida útil do projeto.

Somente os 5 componentes acima são importantes?

Não. Antes de construir o fluxo de caixa é necessário dominar o fundamento do “valor do dinheiro no tempo“.

O que significa “valor do dinheiro no tempo”?

Desconsidere qualquer efeito da inflação e imagine que você emprestou $1.000 para um amigo. Após 30 dias, o seu amigo lhe devolve os mesmos $1.000. O que aconteceu neste caso?

Ao emprestar $1.000 para o seu amigo você não ganhou o rendimento da caderneta de poupança onde estava seu dinheiro antes do empréstimo. Em outras palavras, você não levou em conta o “valor do dinheiro no tempo”.

Do ponto de vista da Matemática Financeira, $1000 hoje não são iguais a $1000 em qualquer outra data, pois o dinheiro cresce no tempo em virtude da taxa de juros.

Os $1.000 aplicados hoje, com uma taxa de juros de 10% a.a., renderá $100 anuais, proporcionando $1.100 no final do ano . Para essa mesma taxa de juros, é indiferente se temos $1.000 hoje ou $1.100 daqui a um ano.

Portanto, nunca se esqueça:

• Valores de datas diferentes só podem ser comparados e somados algebricamente depois de serem calculados para uma mesma data, com a correta aplicação de uma taxa de juros;

• Valores de uma mesma data podem ser comparados e somados algebricamente.

Como calcular a TIR?

Considere o seguinte investimento referente ao lançamento de um produto:

• Investimento realizado no ano 0: $10.000 (capital fixo + capital de giro);
• Benefícios estimados do ano 1 ao 5: conforme a tabela abaixo (receitas – gastos anuais);
• Vida útil do projeto: 5 anos (após este período o projeto será descontinuado);
• Custo médio do capital de terceiros e próprio empatado para suportar o investimento de $10.000: 10% ao ano;
• Valor residual do investimento no ano 5: zero.

 

Anos Valores
0 $10.000
1 $1.000
2 $2.000
3 $3.000
4 $4.000
5 $5.000

Perguntas mais frequentes sobre a Taxa Interna de Retorno (TIR)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *