O que são os indicadores de cobertura dos juros, de cobertura dos juros mais o principal e o EBITDA? Como calculá-los?

Este artigo tratará do indicador de cobertura dos juros e do indicador de cobertura dos juros mais o principal. Apresentaremos também o EBITDA – Earnings Before Interests, Taxes, Depreciation and Amortization.

Os indicadores de cobertura são bastante importantes quando se deseja medir a capacidade de uma empresa pagar os juros e o principal de suas dívidas nas condições pactuadas.

Também é um indicador de bastante auxílio quando se está estudando a definição de uma estrutura de capital ideal (relação dívidas sobre o capital próprio).

Indicadores de Cobertura

Ao analisarmos demonstrativos financeiros calculamos indicadores. O conjunto de indicadores econômicos visam, na sua essência, qualificar o lucro.

Eis alguns indicadores clássicos de lucratividade:

  • Relação entre o lucro operacional e o ativo operacional;
  • Relação entre o lucro líquido e as vendas;
  • Relação entre o lucro líquido e o patrimônio líquido, entre outras relações econômicas.

O conjunto de indicadores financeiros visam qualificar o caixa ou fluxo de caixa da companhia – entradas e saídas de dinheiro.

Uma parcela dos indicadores financeiros está reunida num grupo costumeiramente chamado de “Solvência de Longo Prazo e Risco da Inadimplência”.

Indicadores de solvência de longo prazo procuram identificar a capacidade da empresa atender ao pagamento de juros e do principal no longo prazo.

Alguns indicadores especificamente desenvolvidos para medir a solvência a longo prazo procuram relacionar a lucratividade ao nível de pagamentos das dívidas, para determinar o grau de folga que a empresa possui para honrar seus compromissos.

Indicador de Cobertura dos Juros

O lucro operacional considerado é a diferença das receitas menos os impostos, custos e despesas. Portanto, o lucro operacional é determinado antes dos juros (despesas financeiras) e antes também da parcela do imposto de renda que incide sobre o lucro operacional.

As despesas com juros também são as brutas, antes de levar em consideração a economia fiscal.

Se o indicador de cobertura dos juros for de 2,5 a interpretação é a seguinte: o lucro operacional cobre 2,5 vezes as despesas com juros.

Quanto maior o indicador de cobertura dos juros, mais segura é a capacidade da empresa pagar os juros com seu lucro operacional.

Lembremos que a missão do lucro operacional é a de pagar o custo com o capital de terceiros e o custo com o capital próprio. Os juros representam o custo com o capital de terceiros.

A palavra “cobertura” que faz parte do nome indicador de cobertura dos juros pode ser interpretada como sinônimo de “pagamento”.

O indicador de cobertura dos juros quer sinalizar uma ideia de capacidade de pagamento dos juros. Portanto, o indicador de cobertura dos juros deveria trocar no seu numerador o lucro operacional pelo fluxo de caixa operacional.

Lembrete: nosso lucro operacional está antes dos juros e do imposto de renda.

Dessa forma, o indicador de cobertura dos juros deveria ter a seguinte relação:

Se o indicador de cobertura dos juros for de 2,5 a interpretação é a seguinte: a geração de caixa operacional cobre 2,5 vezes o pagamento com os juros.

O que é e como calcular o EBITDA

EBITDA é a abreviação da expressão “Earnings Before Interests, Taxes, Depreciation and Amortization”. Quer dizer “lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização. O EBITDA é um indicador bastante utilizado por bancos na avaliação do crédito.

O EBITDA é um indicador que sinaliza a capacidade de geração de caixa da empresa. É uma aproximação da geração de caixa operacional. A principal diferença entre o EBITDA e o fluxo de caixa operacional reside no ajuste para mais ou para menos na variação do capital de giro, não considerada no cálculo do EBITDA.

Um novo cálculo para o indicador de cobertura dos juros é o seguinte:

  • Indicador de cobertura dos juros = EBITDA / pagamento das despesas com juros

O indicador de cobertura dos juros é uma aproximação aceitável da capacidade de pagamento dos juros.

O indicador de cobertura dos juros ganha mais significado na avaliação financeira de grandes companhias em que todos os financiamentos, ou a maior parte deles, possibilitem uma rolagem do principal no mercado.

Exemplo: uma empresa que emite debêntures poderá pagar os juros e renegociar o pagamento do principal. Quando a emissão de debêntures chegar a fim, a empresa poderá pagar o principal emitindo outra série de debêntures. O principal poderá acabar se perpetuando e a empresa pagando apenas os juros.

Todavia, a empresa poderá ter todas as suas dívidas, ou grande parte delas, em financiamentos contratados junto ao BNDES. Neste caso, a empresa deverá pagar além dos juros também o principal.

Daí nasce a necessidade de se calcular o indicador de cobertura dos juros e do principal. O indicador é o seguinte:

  • Indicador de cobertura dos juros e do principal = EBITDA / pagamento do serviço da dívida.

Serviço da dívida é uma expressão que significa o pagamento dos juros mais o principal.

Atenção! Prestações de leasing também deverão ser consideradas como parte do serviço da dívida.

Se o indicador de cobertura dos juros e do principal for de 1,5 a interpretação é a seguinte: a geração de caixa operacional cobre 1,5 vez o pagamento com os juros mais o principal.

Críticas ao indicador de cobertura dos juros e do principal (com EBITDA)

As principais críticas que fazemos ao cálculo do indicador de cobertura dos juros e do principal com o EBITDA no numerador são as seguintes:

  1. O EBITDA não leva em consideração a variação do capital de giro no período (crítica já destacada). Em países emergentes como o Brasil existe uma expectativa de crescimento relevante das vendas. Crescimento nas vendas traz a reboque crescimento no capital de giro líquido. Nestes casos, as diferenças entre o lucro operacional e o fluxo de caixa operacional se acentuam. Consequentemente o EBITDA pode não ser uma boa aproximação do fluxo de caixa operacional da
  2. Em países como o Brasil que alternam ciclos curtos de expansão e recessão, o passado não tem sido uma boa referência para o futuro. Um indicador de cobertura dos juros e do principal com base em demonstrativos passados poderá significar pouco para quem deseja evidenciar para uma empresa sua capacidade de pagamento futuro do serviço da dívida.

Para ter boa credibilidade, o indicador de cobertura dos juros e do principal deverá ser calculado com base em demonstrativos financeiros que contemplem um banco de premissas que “olhe para a frente”, incluindo novos programas de investimentos e o serviço da dívida nos novos financiamentos que vão se somar ao serviço da dívida dos financiamentos antigos.

O cálculo dos indicadores de cobertura dos juros e do principal projetados deverão abranger um número de períodos idêntico ao do financiamento mais longo.

Indicador de cobertura dos juros e do principal e a margem de segurança do EBITDA

Para o indicador de cobertura dos juros e do principal ter maior confiabilidade é recomendável associá-lo a uma margem de segurança do EBITDA.

Exemplo:

  • EBITDA médio projetado para os próximos 5 anos: $1.000
  • Serviço da dívida médio projetado para os próximos 5 anos: $500
  • Indicador de cobertura dos juros mais principal: $1.000 / $500 = 2

Interpretação: a geração de caixa média operacional projetada (EBITDA) cobre/paga 2 vezes o serviço da dívida projetado. Portanto, o EBITDA poderá cair 50% até o indicador de cobertura ser de 1 (uma) vez.

É fundamental realizar projeções financeiras com cenários alternativos.

Vamos assumir que num cenário pessimista as vendas caiam 10% por volume, acompanhada de um aumento médio de 5% nos gastos operacionais. Nestas circunstâncias o EBITDA médio estimado será de $750, e o indicador de cobertura médio estimado será de 1,5 vez. Ou seja, a capacidade de pagamento do serviço da dívida é bastante positiva.

Todavia, se o EBITDA médio projetado caísse para $450, o indicador de cobertura médio estimado será de 0,9 vez.

Neste caso, algumas ações deverão ser planejadas:

  1. Conseguir uma fonte de financiamento que o principal possa ser renegociado periodicamente ou pago num prazo mais
  2. Diminuir os investimentos e, por conseguinte, as necessidades de novos financiamentos.
  3. Preparar-se para o lançamento de ações em Bolsa de Valores ou admitir um novo sócio, opções para atrair capital de risco preservando os programas de investimento e diminuindo as necessidades de novos

O que são os indicadores de cobertura dos juros, de cobertura dos juros mais o principal e o EBITDA? Como calculá-los?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *