3 Erros Comuns na Estimativa do Fluxo de Caixa de um Investimento

Nossa experiência mostra que é muito comum a análise de viabilidade financeira de novos investimentos conter erros de fundamento na estimativa do fluxo de caixa.

Selecionamos 3 erros comuns na estimativa do fluxo de caixa de um investimento que afetam o cálculo da TIR e do VPL, para mais ou para menos, podendo levar a Diretoria a tomar uma decisão equivocada.

No exemplo a seguir, apresentaremos esses erros e como corrigi-los.

A análise de viabilidade financeira de um novo investimento

A Diretoria da empresa recebeu da gerência de Novos Negócios a estimativa do fluxo de caixa de um investimento.

Trata-se da análise de viabilidade financeira para o lançamento da nova linha de chocolates diet.

Elementos para avaliação:

  • Custo do capital: 15,0% ao ano.
  • Medidas de avaliação calculadas: TIR de 18,8% ao ano maior que o custo de capital de 15,0% ao ano.
  • VPL positivo de R$267.

Recomendação: aprovar o investimento.

Analisando a tabela, destacamos 3 notas explicativas que deverão ser analisadas.

Leia com atenção uma a uma e observe novamente a tabela.

Pergunta: os procedimentos adotados pela área de Novos Negócios estão corretos ou errados?

Importante: se estiverem errados, o que você faria para corrigi-los? Porque?

Reflita bem após a leitura de cada nota explicativa. Depois de avaliar os procedimentos adotados e de formar sua opinião a respeito, confira se suas respostas estão corretas.

Nota explicativa 1: Através de rateios, a gerência de Novos Negócios considerou que a nova linha de chocolates diet deverá absorver uma parcela dos custos indiretos já existentes. Repetimos: já existentes antes da implantação do novo investimento.

Está correto? Veja a tabela acima e avalie. Depois leia a resposta a seguir.

Errado. Na avaliação de um novo investimento somente os fluxos incrementais de receitas, custos, despesas e investimentos interessam.

Muitas vezes a atratividade de um investimento está em aproveitar a estrutura de gastos fixos existentes, mantendo-a inalterada, para implantar novos negócios.

Em resumo: nada de rateios de gastos fixos existentes, e que não serão alterados, na análise de viabilidade financeira de um investimento.

Nota explicativa 2: O imóvel onde será feita a produção dos chocolates diet já existe e está ocioso. Há uma oferta firme de compra de $1.000. Como o investimento no imóvel já foi feito e está pago e depreciado, a gerência de Novos Negócios considerou na projeção do fluxo de caixa o valor de zero.

Está correto? Veja a tabela acima e avalie. Depois leia a resposta a seguir.

Errado. Ao implantar a nova operação de chocolates diet num imóvel ocioso existente, a empresa abriu mão da oportunidade de vender a um terceiro este imóvel e colocar $1.000 no seu caixa.

Em resumo: a projeção do fluxo de caixa deverá contemplar um investimento de $1.000.

Deixar de colocar $1.000 no caixa da empresa pela venda do imóvel tem o mesmo significado que investir $1.000.

Nota explicativa 3: refere-se ao gasto com a contratação de uma Consultoria externa que avaliou comercialmente o investimento como viável comercialmente. Projeta-se um market share de 25% em 5 anos.

Está correto? Veja a tabela acima e avalie. Depois leia a resposta a seguir.

Errado. Gastos com pesquisa e desenvolvimento de novos negócios deverão fazer parte do orçamento da área de Novos Negócios.

Caso o parecer da Consultoria externa fosse desfavorável ao investimento, o gasto de $300 teria sido incorrido e pago. Portanto, não é afetado pela decisão de aprovar ou rejeitar o investimento.

Em resumo: não considerar este tipo de investimento irrecuperável na projeção do fluxo de caixa.

Feitas as 3 correções de procedimento, como ficará a nova tabela com a análise financeira do novo investimento?

A seguir apresentamos uma tabela confrontando as métricas de avaliação do investimento TIR e VPL antes e depois das correções efetuadas.

Métricas Antes das correções Depois das correções
TIR (1) ao ano 18,8% 26,8%
VPL $267 $1.057

(1) A TIR deverá ser sempre comparado com o custo de capital do projeto de 15,0% ao ano.

O custo de capital de 15,0% ao ano também foi utilizado para cálculo do VPL.

Conclusão do Artigo

A tabela acima mostra claramente:

  • Antes das 3 correções efetuadas: O Investimento deverá ser aprovado. TIR de 18,8% ao ano maior que o custo de capital de 15,0% ao ano. VPL positivo de $267. Porém, a margem de segurança do investimento é apertada. TIR muito próxima em relação ao custo de capital. VPL pequeno em relação ao investimento.
  • Depois das 3 correções efetuadas: O investimento deverá ser aprovado. TIR de 26,8% ao ano maior que o custo de capital de 15,0% ao ano. VPL positivo de $1.057. Agora a margem de segurança do investimento é maior. A decisão de aprovar o investimento poderá ser tomada com maior conforto.

Em resumo: a estimativa do fluxo de caixa do investimento baseada em fundamentos corretos é essencial para qualificar as medidas de avaliação e fornecer bases seguras para a tomada de decisão.

Obrigado! Faça seus comentários no blog da Cavalcante.

Aproveite para sugerir temas para novos artigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *